Há relação entre ouvintes nas rádios e streams no Spotify?

Analisamos os dados de Marília Mendonça, Maiara & Maraísa e Simone & Simaria – artistas sertanejas que se encontram em níveis similares de audiência – durante o período de 13 de outubro de 2016 até 12 de outubro de 2017 para tentar responder a uma série de perguntas sobre a relação entre ouvintes nas rádios e streams no Spotify.

Veja os gráficos abaixo:

 

 

Para os artistas analisados, vimos que existe uma relação. Isso fica claro ao compararmos as linhas que representam a audiência nas rádios e no Spotify. Porém, em alguns momentos, há também áreas divergentes.

Levantamos algumas hipóteses para desvendar por que semelhanças acontecem. Um evento relevante na carreira de uma artista pode gerar um crescimento nas duas linhas. Por exemplo: lançamento de um trabalho, participação em um programa de televisão, inserção de uma música na novela, entrevista em jornal ou revista, anúncio publicitário, etc. Tudo isso colabora para a exposição da artista. Outra hipótese é que as rádios estão atentas ao que está acontecendo no Spotify ou os usuários do Spotify são influenciados pelo que toca nas rádios.

O que performa primeiro: Rádio ou Spotify?

Olhando as relações acima percebemos que, em alguns momentos, o Spotify se antecipa à radio e vice-versa. Apesar de acreditarmos que um meio influencia o outro, não temos o histórico de ações, eventos ou investimentos em cada meio para comprovar isso.

Divergências

 

Acreditamos que áreas divergentes tem a ver com ações, eventos ou investimentos específicos em um dos meios. Por exemplo, um esforço extra em rádio ou a inclusão de uma música em uma playlist do Spotify.

Conclusão

Devemos ressaltar que essa análise observou uma amostra reduzida. Portanto, não podemos pressupor que esse comportamento se repita para outros artistas ou gêneros.

Nossas métricas

– Stream: para esse estudo, consideramos que um stream corresponde a um ouvinte no Spotify. 

– Ponto estimado: um ponto de audiência estimado equivale a um público entre 1.000 e 1.500 ouvintes. Para esse cálculo, levamos em conta a potência da rádio, a densidade demográfica da região, o horário em que houve a detecção e a popularidade da emissora.

Aqui na Playax estamos sempre atentos aos dados referentes ao consumo de música em diversas plataformas, buscando entender se há relação entre eles. Acompanhe nosso blog e fique por dentro das novidades.

Foto: Marília Mendonça (Divulgação)

Categories: Análises, Geral, Relatório Semanal

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *