Usamos o “Big Data” para gerar ações “Data Driven”

Os termos “Big Data” e “Data Driven” estão na moda hoje.

Você sabe como a Playax utiliza o “Big Data” da música pra incentivar ações “Data Driven“?

Para os que são pouco familiarizados, vou dar uma breve descrição sobre o que cada termo significa e vamos para o que interessa.

Segundo o Google, Big Data é o termo que descreve o imenso volume de dados – estruturados e não estruturados – que impactam os negócios no dia a dia.

Ainda segundo o Google, Data Driven é uma ação orientada por dados e refere-se a decisões e ideias que surgem a partir da análise das informações coletadas sobre o cliente.

Para complicar e usar os termos títulos desse post: Em uma ação de Data Driven Marketing (marketing orientado a dados) temos que levar em conta o Big Data (imenso volume de dados) do mercado musical para tomar as decisões certas.

Para simplificar: Temos que parar com os “achismos” e usar os “certezismos”.

A ideia desse post é mostrar a importância de nos basearmos na imensidão dos dados para aumentar nossas chances de sucesso.

Como você chega ao seu público hoje?

Cada pessoa consome música em um determinado momento, usando um determinado dispositivo. Tem gente que ouve o Spotify no ônibus, tem gente que ouve música pelo youtube no computador de casa, tem alguns que ouvem rádio no carro, outros fazem download no soundcloud. Tem aqueles ainda compram CDs… Hummm… será?

Sim. Tem mercados extremamente significativos que ainda se baseiam na venda e distribuição de CDs para promover seus artistas.

Cada mercado (leia-se perfil de público, região do país ou gênero musical) tem uma característica.

Para que um artista, um empresário, um contratante de shows ou uma marca que quer investir em música tenha sucesso, é importante entender as peculiaridades do seu mercado.

Algumas perguntas são fundamentais para entender essas peculiaridades.

Como minha música é consumida?
Qual o perfil do meu público? Ele está acostumado a pagar por músicas?
Qual o melhor meio para divulgar meu trabalho?
Qual a forma mais barata para atingir o maior número de pessoas possíveis?

Para responder essas e outras perguntas que a Playax foi criada.
Acompanhando múltiplas formas de consumo de música no Brasil, a Playax utiliza esse “Big Data” para identificar oportunidades para artistas e profissionais da música.

Dessa maneira possibilitamos estratégias com “Data Driven”, ou seja, ajudamos nossos clientes a usarem dados para definirem sua estratégia.

Na Playax mostramos o desempenho dos artistas nas rádios, redes sociais, aplicativos de streaming, TVs, web-rádios e sites. Cruzamos todos esses dados para sugerir as emissoras certas ou o meio mais eficaz para o lançamento de um novo trabalho.

O cruzamento dos dados ainda nos permitem identificar casas de shows pertinentes para cada artista. Se quiser saber como a Playax recomenda a casa de show certa pra você, leia esse post.

Esses são alguns exemplos de como o “Big Data” pode ajudar a criar Campanhas “Data Driven”.

Esse é o futuro do mercado. Se você ainda não se utiliza de dados para planejar sua carreira, está ficando pra trás.

A boa notícia é que com o uso de dados, as chances de erros caem drasticamente, portanto cada investimento tem grandes chances de trazer o resultado desejado.

A má notícia é que com tantos dados disponíveis, o artista não pode mais ser aquele compositor largadão que não pensa em mais nada a não ser tocar. Tem que pôr a mão na massa ou ter uma equipe para trabalhar todos os dias, analisar dados, tomar decisões e investir para crescer.

Bom é isso.

Até mais,

Paulo Rocha

 

 

 

Categories: Dicas, Geral, Inteligência

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Bitnami